segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Massa esparguete á Moda da Vó R.



Quando faço esta massa bate a saudade. A minha avó faleceu á cerca de 2 anos e meio. Eu era fã de todos os cozinhados dela, mas quando ela fazia esta massa eu era a primeira a sentar-me á mesa, e sem guerras nesse dia. Em pequena era muito má de alimentar, mas quando a Vó fazia os meus pratos favoritos, eu amava. Esta minha avó ajudou a criar quase todos os netos, eu vivi com ela durante o tempo que frequentei a primária, os meus pais estavam no estrangeiro. Ela era daquelas cozinheiras que fazia mil e uma coisas ao mesmo tempo, mas as refeições saíam-lhe sempre bem. Com a aproximação do dia 1 de Novembro decidi que este post seria uma homenagem a ela. Viveu os últimos 10 anos da sua vida em casa dos meus pais, sempre alegre e em correria, até que cerca de 2 anos antes de falecer foi-lhe diagnosticada a doença de Alzeimer. As perdas de capacidades depressa começaram a tomar conta dela, até que um dia, foi sujeita a uma cirurgia cerebral, devido a um hematoma após uma queda, e o seu frágil coração não resistiu. Tinha 82 anos. Vó, temos muitas saudades tuas...

Ingredientes:

1 cebola
1 dente de alho
200 gr de carne de vitela
1/2 pernil fumado
1 chouriço de vinho
1 pedaço de bacon
500 gr de massa esparguete
2 tomates pelados
1 folha de louro
vinho branco
sal e piripiri q.b.
azeite

Preparação:

Corta-se a carne em pedaços pequenos, ao pernil retira-se a pele e o osso e faz-se o mesmo, o chouriço em rodelas e o bacon em cubos.
Num tacho grande, pica-se a cebola e o alho e cobre-se de azeite, deixa-se refogar. Quando douradinho, junta-se o tomate partido em em cubos, a folha de louro,o piripiri e o vinho branco, deixa-se levantar fervura. Quando ferver juntam-se todas as carnes e deixa-se estufar em lume brando.
Quando a carne de vitela estiver macia adiciona-se água suficiente para cozer a massa. Assim que ferver rectifica-se os temperos, e junta-se a massa. Ir mexendo de vez em quando para que esta não se cole. Volte a rectificar de tempero e sirva.

P.S. Esta massa é bastante pesada por isso não gosto de acompanhar com mais nada e normalmente se a faço para o jantar é quando jantamos cedo para que se consiga fazer a digestão antes da hora do recolher.

2 comentários:

Abelha Maia disse...

É bem susbtancial, mas gosto deste tipo de refeição.
bjsss

ameixa seca disse...

O bom é que ficamos com todas as recordações, experiências e aprendizagens que essas pessoas nos foram passando :) É uma linda homenagem! Bela massa!